sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Sócrates

VIDA:
Pouco sabemos sobre os detalhes da vida de Sócrates. Nasceu em Atenas, filho de um escultor e de uma parteira. Quando jovem, serviu no exército contra Esparta na Guerra do Peloponeso, mas, fora isso, sempre viveu em Atenas, onde se casou e teve vários filhos. A julgar pelas descrições tinha uma cara feia. Ficava parado por horas, aparentemente perdido em pensamentos. Contudo, tinha grande senso de humor, e sua graça e carisma atraíram a devoção de muitos. Suas indagações críticas, contudo, irritavam alguns atenienses. Embora tenha sobrevivido à Era dos Trinta Tiranos, após a derrota de Atenas por Esparta, apenas quatro anos depois que a democfracia foi restabelecida, Sócrates foi levado a julgamento e condenado à morte por desrespeito aos deuses e por corromper os jovens. Poderia ter fugido, mas ecolheu aceitar sua sentença e tomou voluntariamente a cicuta que o matou. Platão assistiu ao julgamente e se sentiu inspirado a preservar a sua memória em diálogos.

PRINCIPAIS IDEIAS:
Sócrates interessava-se sobretudo pelas questões morais que afetam nossas vidas, como o que é justo, corajoso e bom. Considerava que sua missão era expor a ignorância dos outros quanto à verdadeira natureza dessas virtudes e era conhecido por constranger os sábios da época ao revelar a confusão implícita em seus pensamentos morais. Iniciava sua abordagem fazendo a seus interlocutores uma pergunta como "o que é a coragem?" ou "o que é o amor?" e passava a examinar as limitações das respostas. Buscava não uma definiçao de dicionário, mas as naturezas essenciais desses conceitos: em outras palavras, o que é que todos os atos corajosos compartilham que os torna corajosos. Nossa dificuldade em descobrir a essência desses conceitos revelava, segundo ele, a profunda ignorância em que todos vivemos quanto ao que realmente importa.
Para Sócrates, o relevante era o espírito crítico, assim como o reconhecimento da própria ignorância era o primeiro e decisivo passo para o conhecimento.
A sua principal tese com relação a ética era a de que a integridade moral é sua própria recompensa. Ele dizia que fazer o mal prejudica o perpretrador muito mais do aquele a quem o mal é feito, pois, embora infortúnios externos possam ocorrer, a verdadeira boa vida consiste em pureza da alma. Para ele as más ações era resultado de ignorância. Segue-se que o conhecimento da virtude moral é de nosso maior interesse e deveria ser nosso objetivo essencial, e que expor a ignorância de outrem é fazer-lhe um favor.

Do Blog Filósofos - Vida e Obras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Time and Date

relojes web gratis

Meus amigos no diHITT

Blog do Professor Aparecido

Meu amigos no diHITT

Seja bem vindo!

O espaço é bem simples, mas está sendo preparado com dedicação para que o visitante sinta à vontade para enriquecê-lo com contribuíções sinceras e interessantes. A intenção é disponibilizar notícias, artigos, conteúdos, que o ajude a enriquecer seus conhecimentos enfim, algo lhe possa ser útil.

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Uma pessoa simples, honesta, bem humorada que adora fazer amizades e ser útil ao próximo. Valorizo a moral, a ética, a verdade, o caráter e detesto arrogância e demagogia. Temente à deus, tenho sonho de ser perfeito aos olhos do Senhor.

Vídeos

Loading...

Pesquisar este blog

Meu amigos no diHITT